Maquiagens 728x90
Procurando pela Tag

vida

Crônica

Talvez

talvez-cronica

Talvez não era pra ser. Já passou, já foi. Não era a hora certa, nem a pessoa certa, e você nem estava certa daquilo. Então pra que perder tempo pensando no que poderia ter sido, se não foi. Para, já deu, e agora o momento é outro. A vida é curta demais pra você ficar remoendo memórias que não vão te levar a lugar algum. O caminho a sua frente tá aí, lindo e livre, totalmente em branco, pra você, apenas você, decidir por onde quer caminhar. Se quiser faça, se não quiser, simplesmente não faça. O rumo da sua vida está nas suas mãos e na de mais ninguém. Pare de tentar colocar a culpa em alguém ou no destino, parou tá? Seu destino é você quem faz, porque são as suas escolhas que te levam aonde você quer ir.

Talvez seja o momento de pensar no que você realmente quer, se é algo que faz o seu coração vibrar ou se você está apenas indo na onda dos outros. Parou, pensou? E então, o que o seu coração te disse? Ele te disse pra ir ser feliz e parar de tentar deixar tudo perfeito, não foi. Ufa, até que enfim, porque perfeição não existe é só faz te perder tempo. Não perde tempo não e vai lá atrás do que você quer de verdade. Não desperdice nenhum momento em vão tá!

Depois que você para de pensar no que os outros vão pensar do que você faz, sua vida fica bem mais leve. E a hora certa para as coisas acontecerem chega, a pessoa certa pra você aparece no momento em que você está certa de que é aquilo que você quer na sua vida. É quando você escolhe fazer o que te faz feliz, o que te faz bem, ao invés do que parece certo ou errado que tudo começa a fluir bem. Talvez pensar demais é o problema da história toda é por isso nada acontece. Talvez a hora certa atrasou um pouco, e o momento certo esteja ali virando a esquina.

 

Por: Carol Doria

* Esse texto é propriedade do blog Carol Doria. Toda e qualquer reprodução deve ser autorizada e creditada.

 

Facebook | Twitter | Instagram | Google + |Snapchat

Crônica

Sem pressa

sempressa-cronica-caroldoria2016

Não tenha pressa menina, ninguém nasceu sabendo. Tudo nessa vida tem seu tempo, pode acreditar. Muita calma aí, porque a pressa não vai te levar a lugar nenhum. É aos poucos que tudo se ajeita e você vai ter tudo aquilo que quiser.

Então vai lá, esquece tudo o que passou, deixa tudo pra traz e não guarde nenhuma mágoa no coração. A partir de agora sua vida é um livro em branco no qual você mesma vai escrever sua história como quiser. Coloque muito amor, um pouco de cor e muita vontade de viver. Você vai perceber que logo depois começa a surgir alegria, sorrisos, conquistas e sonhos a realizar. Seja grata por tudo, queira o bem e pode ter certeza que tudo o que é de bom vem, vem sim.

De vez em quando vão aparecer momentos cinzas nesse livro, mas tudo o que acontecer de ruim, é pra melhorar. E aí volta a ser colorido de novo. Não se esqueça do aprendizado que você teve durante essa fase. Ele te deixou mais esperta e muito mais corajosa pra encarar esse mundo doido. Muito cuidado pra não repetir, ok? Não têm problema nenhum em errar, mas não se permita cometer o mesmo erro duas vezes, porque a vida é muito curta pra viver essas fases ruins.
Encha seu novo livro de coisas boas, pois são essas as coisas que você terá na vida. Boas risadas, lindas memórias, momentos inesquecíveis. Não deixe nada e ninguém se intrometer pra atrapalhar sua história. Leve na sua caminhada somente quem acrescenta, quem diminuiu já risca do livro aí. Vá escrevendo até cansar e o final, não se esqueça, não conte pra ninguém.

 

Por: Carol Doria

* Esse texto é propriedade do blog Carol Doria. Toda e qualquer reprodução deve ser autorizada e creditada.

 

Facebook | Twitter | Instagram | Google + | Snapchat

Crônica

Eu quero

cronica-eu-quero-carol-doria-2016

Eu quero uma vida inesquecível, um amor de verdade, uma história pra contar.

Eu quero sorrir de verdade, matar a vontade de dentro de mim.

Eu quero me preocupar menos e viver mais, me importar menos e me amar mais.

Eu quero uma história completa, e não a metade. Quero saber qual é o fim dessa bagunça que eu tô vivendo.

Eu quero sentir as gotas de chuva caindo no meu rosto como se eu fosse criança outra vez. Quero borboletas no estômago por gostar de alguém só de olhar. Quero o frio na barriga de viver uma aventura sem fim.

Quero me preocupar com coisas pequenas como escolher entre sorvete ou torta de morango pra sobremesa. Quero esquecer das coisas complicadas que vive antes daqui. Quero uma vida leve e mais feliz.

Eu quero riscar um por um os itens da minhas coisas por fazer. E repetir se der. Quero viver intensamente, quero lembranças, memórias felizes. Quero momentos incríveis, lugares inesquecíveis e dias melhores. Quero um pedaço do paraíso, é pedir demais?

Quero acordar ao meio dia, dançar sozinha na frente do espelho e cantar aos quatro ventos toda a minha felicidade, mesmo com as letras todas erradas, e daí? Já disse que quero ser feliz!

 

Por: Carol Doria.

 

* Esse texto é propriedade do blog Carol Doria. Toda e qualquer reprodução deve ser autorizada e creditada.

Crônica

Rumo a felicidade!

rumo-a-felicidade-carol-doria-2016

Fiz minhas malas de uma hora pra outra, coloquei no porta malas do carro e parti. Assim mesmo sem rumo algum. Fui indo por onde a estrada quis me levar, admirando a paisagem e apreciando o pôr do sol. Pelo retrovisor vou vendo ao fundo toda a bagagem desnecessária que deixei pra trás. Que sensação incrível essa de liberdade!

O vento bate no meu cabelo e é aí que sinto que é isso o que quero pra mim. Viver assim sem preocupações, sem destino, indo pra qualquer lugar descobrindo o mundo. Com uma música lenta tocando no rádio, tudo agora parece tão simples. Consigo ver tudo o que eu sempre quis fazer e nunca fiz, mas que agora, agora sim, vou realizar todos aqueles sonhos esquecidos na gaveta.
Porque de verdade, não tenho o que perder. Mudanças são necessárias na vida e estou feliz por ter partido, mesmo sem saber a direção. Decidi fazer só o que me faz feliz, sem me importar com o amanhã. To vivendo o agora, e olha, tá sendo incrível. Não tem sensação melhor do que essa, liberdade com gostinho de aventura, é viciante.

Cheguei em uma praia deserta, magnífica, de águas claras e areia bem branquinha. Um paraíso escondido que parece que ter sido feita pra mim. Sem pressa, me lavei de todos os apegos com o passado e passei a aproveitar essa nova vida. O mar levou embora todos os meus medos, todas as minhas frustrações e me trouxe boas vibrações, me carregando de energia positiva pra seguir meu caminho leve e tranquila.

Finalmente to indo atrás do que me faz feliz, com tudo o que preciso e sem ninguém pra dizer que tá tudo errado. To indo ali ser feliz e não volto mais. Peguei a estrada da felicidade e parti. Tchau!

 

Por: Carol Doria.

 

* Esse texto é propriedade do blog Carol Doria. Toda e qualquer reprodução deve ser autorizada e creditada.